sábado, 18 de fevereiro de 2017

Ansiedade..

O meu problema era ser
ansioso.
Era ter um peito
ocioso.
Era ser meio medroso,
se apaixonar de um jeito
torto
e tentar metades
demais
por um inteiro só.
O problema era eu achar
que era paixão,
quando era a ansiedade,
de supetão,
arrombando a porta
do meu apartamento,
quebrando minha cara no chão,
e fazendo o tempo ficar lento,
me deixando refém do vento,
e tomando cuidado
com os lugares em que eu sento
pra nada,
nada lembrar você.

O problema é que gente ansiosa
também ama
e a gente nunca sabe
identificar
o que significa nossa falta de ar.
O que significa a compressão
no peito,
e o que é o suor frio.
A vontade de ficar na cama
e de costurar
a semana inteira num só fio.
Suspira,
mas o que a gente queria
era espaço
pra respirar.
Pra pensar bem.
É amor
ou nem?

Ansioso toma remédio,
não é
frescura.
Ao menos ansiedade
tem cura.
Já que amor, quando dá errado,
deixa o coração
em carne nua.

-João Doederelein (instagram.com/akapoeta) texto e repost

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A felicidade como rotina...



Ah o tempo, algumas coisas aconteceram ano passado... finalmente me formei em Jornalismo. Mas a noticia mesmo foi que me casei após dois anos de noivado e 4 de namoro. HAHAHA
Decidimos casar bem no dia que completamos 4 anos de namoro, 30 de setembro. ( Nossa que clichê. blêh)

A vida de casada é bem difícil no começo mesmo, diga-se de passagem que é a hora a gente realmente descobre tudo que os nossos pais falam é verdade. Tenho mais responsabilidades, não só comigo, agora com outra pessoa. Entendo também o porque as pessoas só vão morar juntas. RISOS
Pessoas diferentes morando juntas, e foi a primeira vez mesmo, mas agora já me acostumei um pouco e entendo o porque dos casais comemorarem cada mês, é uma vitória mesmo.



"Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inlcusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora da minha própria vida."

– Clarice Lispector, in ‘Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres’

quarta-feira, 30 de março de 2016

Seguir em frente, será que o tempo resolve?




Ah que coisa horrível, hein? Perder uma amizade, sem mais nem menos. Óbvio que deve ter sido algo, mas eu não sei. Muito ruim você apenas deixar alguém partir, porque ela quis assim. Você quer gritar, perguntar o que houve, se desculpar mesmo sem saber o que houve. Um perdão por algo que não se sabe o que é.
Eu tenho um chama pra amizade assim, em que a pessoa se volta contra mim e eu tenho que advinha o que eu fiz. Mas se é essa a decisão final, espero que seja feliz, só espero que o tempo amenize tudo que eu to sentindo e que tudo isso se resolva.




"Na boa? Eu queria escrever algo que amenizasse essa dor aqui dentro. Queria gritar tudo o que queria dizer, mas sem saber o quê. Talvez eu só queira você aqui comigo. Uma âncora para manter meus pés no chão."
Mariana Tarifa
Leia Mais:http://vida-estilo.estadao.com.br/noticias/comportamento,quando-uma-amizade-se-perde,10000005145
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter
Leia Mais:http://vida-estilo.estadao.com.br/noticias/comportamento,quando-uma-amizade-se-perde,10000005145
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

quarta-feira, 2 de março de 2016

O gelo da nossa amizade




Infelizmente, a pessoa que aqui vos escreve tem o coração mole pra amizade. Sabe, eu ainda me pergunto porque tento. Toda vez. Juro que falo pra mim mesma que desisto, e tô lá de novo.
A de hoje foi o seguinte, eu tentando puxar assunto:


-E aii, tudo bem?
- tô.

Claramente, ela não quer conversar e mais uma vez eu sou a trouxa da história. Seria cômico se não fosse humilhante, inclusive postaria o print, mas eu fico tão triste que apago a conversa na hora. Não sei o que fiz pra ser tratada assim, juro que nunca falei nada errado e possivelmente e visivelmente o problema não sou eu. Mais uma vez digo a mim mesma que desisto, acho que agora vai.
A gente tem que se tocar algum dia quando não é bem vindo, vou tirar meu cavalinho da reta depois dessa, acho que me pego no passado demais que nem o filme "500 dias com ela" que ele só lembrava as coisas boas e esqueceu as ruins.

Enfim, pior é que eu gosto muito dela, sabe? mesmo ela não sentindo o mesmo nessa amizade, só acho que se você não quer conversar, ou ser amigo de alguém, você deveria jogar a real, será que agora vai? acho que ela nem vai notar eu me afastando, assim como nunca notou.

Obs. Achei dois comentários e percebi que vivo nisso há tempos. SUPERA MINHA FILHA!!!   Achei diversos posts aqui no blog, falando sobre a mesma pessoa, tô pra imprimir e grudar aqui na parede do quarto pra ver se eu me toco.

  1. Eu entendo esse seu sentimento. Só espero que sua amiga também... :)

    Beijos
    ResponderExcluir


  2. As amizades são como folhas de árvores. Algumas permanecem, outras caem para que na próxima estação venham novas e revigoradas.
    Só fica na nossa vida quem tem que ficar.
    :)

    Um beijo


_
Maçã
Volantes
  

Estou abrindo mão
Por tanto tempo eu quis
Mas não sei por que razão não foi tão bom quanto se diz
Por aí
Vai ser fácil ver
Volta e meia algum deslize onde eu enxergue você
E pra ti
Tão difícil eu sei
Se já vinha em passos brandos
a tendência é que vá ser

Por um caminho longo
O dia inteiro pra chegar do outro lado da rua
E devolver suas coisas
Não quero nada que faça lembrar

Eterna briga pra esquecer
Por mais clichê que seja
O tempo vai dar conta e desfazer

Os nós mais apertados
Hábitos de cada manhã
Em que o calor vinha do lado
Já com gosto de maçã

Me diz por qual caminho
Você vai passar
Pra eu desviar
Eu quero andar sozinho

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Vida...




Havia decidido não esboçar um punhado de palavras nesse fim de ano, me via sem elas, num vazio que preenche, contraditoriamente oca. Mas às seis e tantas me veio aquela sensação de calmaria. Não a usual euforia pelo ano que se inicia, mas a sensação de estar, finalmente, com ambos os pés fincados no chão. Ao contrário do que me parecia, não é uma sensação completamente boa essa de ver as coisas com olhos de quem não espera nada. Ser realista nos tira o fôlego de viver, põe fim em história que sequer teve a chance de começar. Mas não, não agora. Nesse momento desejo, acima do asfalto que marca meus pés, eu desejo. Vida, eu desejo vida. Que vivamos sem medo, que amemos, que nos permitamos sentir. Porque sentir é bonito e amar é o ápice de transbordar. Porque é cansativo doer de tanto pensar e criar muros por medo da vida. Desejo que tenhamos coragem de viver, que a marca no calendário seja uma oportunidade de recomeço. Todo dia é dia de renascer, toda madrugada pode ser uma utopia. Espero sentir coragem, mesmo sem a superstição. Desejo coisas bonitas, pra você e pra mim. Para quem se permitir acreditar, para quem se permitir e só. Desejo que nos bastemos, afinal. 
G.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Ahhh o resto...





Agora com 24 anos, trabalhando com fotografia, terminando a faculdade de Jornalismo e namorando há 3 anos. Acho que desde do começo do blog até aqui, foi um avanço muito grande em certas partes da minha vida, e assim que tem que ser. Futuramente, pretendo casar, mas é algo que está sendo planejado, não entendo como existem pessoas casam do nada, eu me baseio por aí. 
A faculdade só consigo pensar em terminar, tô estagiando. Não muito feliz, mas tô. Fui em busca do meu sonho de ser fotógrafa e hoje em dia trabalho com isso. <3
O resto é melhor nem comentar. hahaha




"   É preciso resgatar a grandeza infinita dos gestos simples e ‘elementares’. Cuidar da vida. Curtir a minúcia. Lavar a própria roupa. A louça. Arrumar a casa. Fazer sua comida. Tomar banho como quem realiza um ato sacro. Recuperar o prazer da prática dos atos primários. Saber que ser matéria, caralho e buceta, boca e estômago, é uma dignidade e um esplendor. Dá trabalho. Mas, para brilhar, as estrelas têm que arder, até o glorioso fim.   "
Paulo Leminski.


sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Vivendo

Quanto tempo, não é mesmo? Muita coisa aconteceu. Consegui outro emprego, tudo pra conseguir grana pra viajar, dai quando voltei de viagem, perdi o outro emprego. Agora pelo menos tenho mais tempo pra me dedicar a fotografia e aos estudos. O que acaba me deixando bastante ocupada, no qual finalmente chegou a parte final da faculdade. MELHOR COISA. 
Sobre a viagem? ela foi muito boa por sinal, fui com meu noivo. Tudo muito lindoooooooo, gente essas cidades são dignas de ir lá e turistar. Eu quero voltar em João pessoa e conhecer melhor, as praias que só vimos de longe. Tudo é lindo, porto de galinhas então?  

Segue algumas fotos...






Tiramos mais de 3 mil fotos. uahsuhah